De olho na aprendizagem: Trahentem® otimiza soluções de educação corporativa

Por que você produz treinamentos de educação corporativa? Ao longo dos anos, o cotidiano maçante facilita o distanciamento entre o designer instrucional e a resposta para o questionamento. Mas, a essência da afirmativa correta é simples: treinar pessoas é uma iniciativa fundamental para auxiliá-las a adquirirem competências relevantes para a performance e torná-las capazes de transferir os conhecimentos absorvidos na ação ao ambiente de trabalho.

Na prática, os norte-americanos Conrad Gottfredson e Bob Mosher justificaram a existência da solução de aprendizagem no livro Inovative Performance Support a partir de cinco momentos de necessidade clássicos tais como aquisição de novos conhecimentos (quando o colaborador aprende algo pela primeira vez), aquisição de mais conhecimento (expandir ou aprofundar-se em um tema que o colaborador conhece), aplicação  (ato de transferir o conteúdo aprendido no treinamento para a realidade profissional), soluções (em situações onde os caminhos encontrados não funcionam de acordo com o planejado ou no surgimento de desafios organizacionais) e em mudanças (urgência em encontrar novas maneiras de atingir uma determinada meta).

Para construir uma solução de educação corporativa assertiva, os profissionais costumam utilizar o sistema ADDIE. Ou seja, Análise (Analysis), Design, Desenvolvimento (Development), Implementação (Implementation) e Avaliação (Evaluation). Neste contexto, a especialista em treinamento Flora Alves acredita que as etapas fazem parte de uma trajetória de construção de aprendizagem obrigatória. Porém, há um ponto fora da curva que contribui (e muito) com o sucesso da iniciativa. Trata-se do Trahentem®.

A ferramenta idealizada por Flora apresenta a intenção de otimizar os estágios de elaboração de um treinamento ao posicionar o ser humano no centro do processo. “Construir uma solução de aprendizagem de sucesso envolve uma série de fatores sendo o principal deles o entendimento das reais necessidades do aprendiz. Afinal, em um espaço corporativo encontram-se gerações com perfis diferentes. Então, é preciso realizar o treinamento levando em consideração as particularidades de cada participante”, afirma.

Por sua vez, o método é uma espécie de guia ágil e seguro aos designers instrucionais experientes ou iniciantes no momento de visualizar o objetivo de aprendizagem a fim de identificar as atividades que devem ser cumpridas para alcançá-lo e as abordagens que mais se adequam ao público-alvo. Para que essas ações aconteçam, a plataforma funciona por meio de três Canvas usados de forma sequencial ou não em paralelo a post-its®. A ideia é transformar a iniciativa em um procedimento dinâmico e colaborativo.

Fora da curva

Ao utilizar o Trahentem® é possível perceber que a ferramenta é uma quebra no sistema tradicional de construção de uma solução de aprendizagem, pois tende a seguir um novo ciclo no qual prioriza-se as etapas de análise, design, implementação e avaliação. O primeiro passo para concretizar o procedimento pelo ponto de vista do método é definir o objetivo do treinamento com base nas demandas da empresa pelo Canvas Di-Empatia. Em seguida, o Canvas Di-Tarefas facilita o encontro dos objetivos específicos para filtrar as informações a serem transmitidas na ação de educação corporativa. Já o Canvas Di-ROPES finaliza a experiência ao servir de apoio para o desenvolvimento dos módulos da solução – o que ajuda na tarefa de organizar as informações de maneira intencional.

Por fim, é importante ressaltar que o Trahentem® também é um meio de reconhecer a efetividade do treinamento no desafio da corporação. Logo, diminui as chances de um re-trabalho porque nem todos os problemas podem ser solucionados com educação corporativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *