Como o SESI a revolucionou o modelo de treinamento das indústrias de Santa Catarina

Como efetivamente impactar os resultados do negócio por meio do desenvolvimento de pessoas? Este questionamento ousado iniciou o ano de 2016 da área de Educação do Serviço Social da Indústria (SESI) de Santa Catarina. Na verdade, a reflexão em si fez parte de um procedimento de reposicionamento da instituição. Até o momento a entidade oferecia as afiliadas um modelo de aprendizagem de quatro horas em sala de aula após o expediente para transmitir conteúdos obrigatórios a carreira dos aprendizes como, por exemplo, Legislação.

“Temos a responsabilidade de sempre prezar pelo melhor dos nossos clientes. Portanto, queríamos exercer um papel de referência na educação corporativa das indústrias e a proposta tradicional não era mais atraente para a realidade delas. O ideal eram ações de desenvolvimento de competências e ampliação da escolaridade alinhadas às demandas contemporâneas do ambiente de negócios a fim de realmente fazer a diferença no mercado”, afirma Eloisa Naue, coordenadora de Educação do Sistema FIESC – SESI/SC.

Para esta trajetória de transformação, a equipe da instituição escolheu trilhar o caminho do Trahentem®. Por meio de etapas seguras e ágeis, a ferramenta idealizada pela Flora Alves tem o objetivo de guiar os designers instrucionais experientes ou iniciantes durante a construção de uma solução de aprendizagem. Na prática, utiliza-se três Canvas de forma sequencial ou não com a utilização de post-its®. Contudo, também existe a opção virtual. Por fim, o diferencial do método que se propõe a trazer dinamismo e colaboração as iniciativas de T&D é inserir o ser humano no centro do processo.

Veja abaixo a entrevista exclusiva com o SESI a respeito da parceria com o Trahentem® no projeto Embarque Imediato.


De que maneira a instituição entrou em contato com o Trahentem®?
Ao receber o grande desafio de modificar toda a área de Educação, o time saiu em busca de um norte. Em um evento do Fórum Econômico Mundial que abordou as habilidades que os trabalhadores devem ter em 2020 compreendemos a importância das soft skills (competências comportamentais) neste cenário de Indústria 4.0. Em seguida, definimos que as diretrizes do reposicionamento seriam com base em elementos como pensamento crítico, criatividade e inteligência emocional. Esta foi a hora em que as dúvidas sobre colocar a ideia em prática começaram a surgir e ligamos para a Perestroika. Imediatamente a escola livre de atividades criativas indicou o Trahentem® e nos passou os contatos da idealizadora Flora Alves.

Explique as etapas de elaboração do Embarque Imediato.
O primeiro passo do Embarque Imediato foi estabelecer o objetivo de aprendizagem. A equipe pensava que o problema do antigo modelo de educação corporativa do SESI estivesse na carga horária dos treinamentos. Porém, o Canvas Di-Empatia ajudou a descobrir que a falha estava na escuta ativa das indústrias. Ou seja, não sabíamos quais eram as reais necessidades das empresas, a performance esperada de cada colaborador e de que jeito alcançar as expectativas. Em paralelo, aconteceu uma aproximação com o Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) em que 11 das 16 associadas ao movimento toparam participar do projeto.

A partir de um estudo dos negócios envolvidos na iniciativa em conjunto com as altas lideranças, observamos que as “dores” com semelhança relacionavam-se a gestão horizontal, entendimento de mercado/cliente e o papel do líder no apoio da transformação. Após validar essas percepções com o SCMC priorizamos os seguintes pilares: personalização, estratégias de aprendizagem, transferência de conhecimento e evidência dos resultados em que a média-liderança seria o público-alvo. Em suma, cada organização se comprometeu a disponibilizar três líderes para participar das trilhas  “Líder com visão de negócio” e “Líder como gestor de pessoas” que foram apresentadas em encontros mensais e para ampliar as habilidades de visão sistêmica, escuta ativa, feedback e relações interpessoais. Por sua vez, a alta liderança foi convidada a exercer os papéis de patrocinadores a fim de apoiar os participantes, validar as ações e aumentar o engajamento.

Houve dificuldades ao longo do projeto? Se sim, explique as principais.
As dificuldades despontaram logo no início do projeto sendo a barreira territorial a principal delas. O Estado de Santa Catarina conta com diversas zonas industriais importantes, de portes e nichos bastante diversos. Neste contexto, muitas das companhias não estavam acostumadas à ideia de que investir em aprendizagem corporativa é fundamental para aumentar a competitividade organizacional. Então, teve um exercício intenso de ouvir as associadas a fim de entender as necessidades de uma a uma para promover uma experiência de treinamento personalizada.

Como foi a receptividade dos participantes a ferramenta?
A aceitação foi ótima. É muito interessante quando os participantes começam a responder às perguntas dos Canvas porque eles param para refletir sobre questões que antes do Trahentem® nem prestavam atenção – o que gera muitos insights com rapidez e abre as portas da autoaprendizagem. Na devolutiva esta tendência é contínua e amplia a visão de elementos que talvez seriam desconsiderados no processo padrão. Portanto, é possível perceber que a ferramenta resulta em uma aprendizagem que vai além do treinamento.

Quais são os benefícios do método para as ações de T&D?
Além de contribuir para acionar executivos estratégicos do negócio, o método traz novas lentes ao desenvolvimento de pessoas porque desperta para uma aprendizagem mais leve. Outra vantagem da metodologia é permitir identificar se o treinamento é a melhor saída para determinado desafio organizacional. Afinal, nem todas as dores se curam com educação corporativa. Por consequência, aumenta a assertividade das atividades de T&D. Vale ressaltar também que é um processo muito rico em insights. As empresas “embarcadas” estão com materiais para trabalhar por um longo período. Não tem preço. É muito disruptivo.

O Trahentem® é uma metodologia inovadora. Por esta razão, nem todos a compreendem de imediato. A percepção sobre a ferramenta mudou após a utilização durante o projeto?
As impressões sobre a metodologia não se modificaram e sim amadureceram para o entendimento das possibilidades que ela oferece tanto nos gaps internos (neste caso ajudou a focar de fato no grande projeto) quanto no uso da ferramenta no reposicionamento dos treinamentos das indústrias. Então, houve apenas a constatação do quanto o Trahentem® é fundamental no processo de construção de uma solução de aprendizagem.

Quais são as expectativas em relação ao Embarque Imediato?
A expectativa é criar um novo olhar nas indústrias para o processo de aprendizagem. Que elas possam pensar no planejamento do treinamento, em quem participa da ação, no convite aos participantes, nas metas diárias, no suporte à transferência do conteúdo e na mensuração dos resultados. No final, as ações de T&D não se tratam somente de participar de encontros. É preciso garantir que as demais etapas sejam colocadas em prática.

One Reply to “Como o SESI a revolucionou o modelo de treinamento das indústrias de Santa Catarina”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *