Mensuração de resultados. É possível? 

O que vai, volta. Esta crença popular não se aplica apenas ao ramo da vida pessoal. Na verdade, a frase expande-se para o ambiente corporativo no formato de Return Of Investiment (ROI). Ou seja, a alta liderança que financia o desenvolvimento de competências espera um retorno palpável do investimento – o que se agrava em uma época de mercado volátil. Mas, uma pesquisa da Deloitte identificou que a mensuração de resultados do treinamento ainda é uma árdua tarefa para os Recursos Humanos.

Entre os principais desafios da atividade encontram-se: ausência de integração entre Learning Management System (LMS) e outros sistemas (62%), falhas ao conectar a aprendizagem aos resultados do negócio (59%) e ferramentas de análise de dados inadequadas (56%). Neste contexto, embora existam métodos dispostos a modificar este cenário como os de Kirkpatrick, Phillips e Brinckerhoff menos de 40% dos profissionais conseguem alcançar mensurações quantitativas sobre as ações de educação corporativa com estes recursos.

Diante da situação, o ROI perdeu forças sendo substituído pelo ROE com frequência. Em vez de basear-se em números, o Return Of Engagement é realizado em cima dos pilares de adesão, engajamento e produtividade dos aprendizes no pós-treinamento. “O cálculo deixa de lado os fatores intangíveis e foca em percepções capazes de beneficiar na prática o cotidiano da empresa. A iniciativa também permite a ampliação do olhar estratégico sobre o negócio, pois ao observar itens chaves permite transformar a análise das ações corporativas em insights que podem apoiar as decisões da alta liderança”, afirma Flora Alves, idealizadora da ferramenta.

Ferramentas que auxiliam na mensuração de resultados

A especialista em treinamento desenvolveu o Trahentem® que trata-se de uma metodologia idealizada para designers instrucionais experientes ou iniciantes que desejam construir uma solução de aprendizagem de uma maneira ágil e segura. Para que isso aconteça, a ferramenta conta com o uso de três Canvas de forma sequencial ou não com a utilização de post-its®. O primeiro destes materiais é o DI-Empatia no qual uma das funções é auxiliar na mensuração de resultados do treinamento pela estrutura ROE.

“O diferencial do Trahentem® é posicionar o ser humano no centro da ação de educação corporativa a fim de aumentar as chances de assertividade da iniciativa. Então, o Canvas inicial tem a intenção de alinhar a análise organizacional com o entendimento do público-alvo para traçar uma solução de aprendizagem que atinja as expectativas da companhia ao mesmo tempo em que atenda as reais necessidades do colaborador”, explica Flora. Portanto, para mensurar os resultados do treinamento basta comparar o desempenho final do aprendiz com os objetivos de aprendizagem delimitados no Canvas DI-Empatia.

“Por fim, é importante ressaltar que para alavancar os benefícios da ação para o negócio, é fundamental trabalhar o suporte à performance que nada mais é do que criar meios que ajudem o funcionário a transferir o conhecimento adquirido para o local de trabalho”, pontua a especialista.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *