Sistemas de Design de Aprendizagem: o que são e para que servem?

O investimento em Treinamento & Desenvolvimento tem se tornado comum nas organizações, principalmente devido aos resultados positivos proporcionados pela prática. Com o treinamento dos colaboradores, é possível desenvolver as habilidades e potencialidades de cada um e, como consequência, gerar o desenvolvimento da própria empresa. Segundo dados do 13º Panorama do Treinamento no Brasil, em 2018 as empresas brasileiras investiram em T&D uma média de R$ 2,21 milhões, montante que representa 1,62% das despesas com folha de pagamento.

Contudo, não é tão simples desenvolver um treinamento atrativo e eficaz, afinal a teoria é sempre mais fácil que a prática. Neste cenário surge o “Design de Aprendizagem”, antes conhecido como “Design Instrucional”, que ganhou nova nomenclatura muito em função dos esforços de especialistas na área, ao quebrarem ao longo dos últimos anos determinados tabus e, efetivamente, posicionar as pessoas no centro da estratégia de desenvolvimento humano.

Elaborar um Design de Aprendizagem de um treinamento significa criar uma solução de aprendizagem pensando na experiência de quem aprende e no que esta pessoa precisa fazer com este aprendizado. Para que isso aconteça é preciso pensar no tipo de conhecimento a ser apreendido, no contexto no qual esta pessoa está inserida a também na aplicabilidade deste conhecimento para sua rotina.

Ter o olhar de um Designer de Aprendizagem significa exercitar a visão de quem aprende, pensando em suas atribuições e desafios. É se despir da autoridade de conhecimento e se disponibilizar para encontrar maneiras de ajudar o outro a aprender o que ele precisa e não aquilo que você gostaria de ensinar. É facilitar a vida de quem aprende por meio da criação de uma solução de aprendizagem que vá tornar a execução do trabalho desta pessoa mais fácil, mais eficaz.

Para Flora Alves, uma das maiores especialistas em aprendizagem corporativa do Brasil e idealizadora do Trahentem®, é possível encurtar o processo de construção de um treinamento ao optar por uma abordagem assertiva e simples, sem jamais ser simplista ou reduzir o propósito da causa a uma mera atividade protocolar entre o transmissor e o receptor do conteúdo em questão. “O nosso principal ativo é a abordagem descomplicada, empática e colaborativa. É a isso que o chamado ‘Design de Aprendizagem’ se refere em oposição ao design instrucional tradicional, mas sempre respeitando o ciclo de aprendizagem”.

Ciclo de aprendizagem

Uma solução de aprendizagem só será realmente efetiva, alcançando resultados mensuráveis e promovendo uma mudança de conduta quando percorre um ciclo, composto de quatro etapas básicas. São elas:

1.Análise,
2. Design,
3. Implementação,
4. Avaliação.

Este ciclo aponta o caminho necessário a ser seguido para a construção de uma solução de aprendizagem eficaz, centrada no participante e em sua performance de modo a contribuir com os objetivos organizacionais a serem alcançados. 

Esta quatro etapas básicas estabelece a correlação entre o ciclo das soluções de aprendizagem e o modelo ADDIE (Sistema de Design Instrucional). Cada etapa do ciclo ocorrem várias ações e são elas que variam de acordo com o Sistema adotado. 

Percorrer todas as etapas do ciclo não é uma opção, é uma obrigatoriedade para o alcance de resultados por meio de uma solução de aprendizagem. O que muda é a maneira como fará este percurso, ou seja, que abordagens e instrumentos será utilizado em cada etapa para que tenha sucesso. 

A Metodologia Trahentem® para o Design de Aprendizagem com uso de Canvas é uma maneira rápida, segura e eficaz de percorrer este trajeto. 

Sistemas de Design Instrucional de Aprendizagem

Um Sistema de Design de Instrucional (ISD Instructional Systems Design) é uma abordagem sistemática para analisar, desenhar, desenvolver, implementar e avaliar experiências de aprendizagem de maneira eficiente, efetiva e engajadora. Um possível primeiro modelo do que se chamou de “desenho instrucional” foi desenvolvido pelo exército americano a partir das descobertas de B.F Skinner sobre o comportamento operante. Este modelo teria sido aplicado ao desenvolvimento e treinamento de soldados para a Segunda Guerra.

Existem dois modelos de design instrucional amplamente reconhecidos. O mais tradicional é o modelo ADDIE, do qual existem várias variações. O segundo é o modelo Ágil , no qual existem diversas variações, incluindo o Desenvolvimento Rápido de Aplicativos, o Desenvolvimento Rápido de Conteúdo e o Modelo de Aproximação Sucessiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *