Envolvendo Stakeholders para a criação de um Treinamento

Identificar os stakeholders de uma empresa, negócio ou projeto é uma fase fundamental do planejamento estratégico em qualquer setor. Eles são os grupos ou pessoas que estão interessados ou serão afetados pelo projeto, portanto, sempre devem ser levados em consideração.

E quando o assunto é Treinamento & Desenvolvimento, a gestão eficiente dos stakeholders se insere como um dos aspectos mais importantes para o bom andamento e o alcance dos resultados objetivados pelo processo, pois com a colaboração dos stakeholders certos, é possível desenvolver um treinamento alinhando as expectativas da organização, da liderança e do colaborador. Lembre-se: conseguir o engajamento de stakeholders o mais rapidamente possível é fundamental para garantir o sucesso no desenvolvimento da empreitada.

Mas como envolvê-los? Bem, conhecer os stakeholders de um projeto não é apenas listá-los ou mencioná-los no planejamento. Para realmente conhecê-los é preciso saber quem eles são, com que se importam, como se sentem sobre o projeto e qual é o nível de influência de cada um tanto para o bem quanto para o mal da iniciativa. Por exemplo, se uma diretora da área de recursos humanos não compactua com a ideia de desenvolver uma nova ferramenta de gestão de RH, a empresa pode ter que lidar com uma enorme barreira pela frente a fim de levar seu projeto a cabo. Sendo assim, reúna o maior número de informações sobre seus stakeholders, converse com eles, entenda seus desejos e suas necessidades para então travar um diálogo mais aberto e voltado para soluções e benefícios mútuos.

Engajamento

Para obter o engajamento dos stakeholders é preciso estar engajado com eles. Mas o que isso significa? Depois de conhecê-los e saber quais são seus interesses em relação ao projeto, envolva-os desde a fase de planejamento até o final do treinamento. Peça opiniões para essas pessoas, crie um ambiente propício à troca de ideias e esteja aberto ao feedback, por mais que seja negativo. Lembre-se de que é possível engajar pessoas contrárias ao projeto também, bastando para isso que você as eduque para que entendam o porquê do projeto, que necessidades ele visa sanar, que tipo de benefícios e vantagens vai trazer e como cada stakeholder será impactado por ele.

Outro passo importante para engajar stakeholders é saber ouvi-los atentamente. Mas atenção: não basta ouvir e não agir sobre o que está sendo dito. É preciso interpretar inclusive a linguagem corporal, dar feedbacks o tempo todo para saber se está realmente compreendendo a fala do stakeholder e aproveitar seus bons conselhos para implementar no projeto.

A comunicação é um outro caminho certeiro para o engajamento dos stakeholders. Por meio dela você se faz presente todos os dias junto aos públicos prioritários do projeto e os mantêm a par de tudo o que está acontecendo, gerando assim um clima de segurança e credibilidade. É preciso estabelecer um diálogo de mão dupla, de forma que todos possam trocar suas impressões sem medo.

Para Flora Alves, especialista em aprendizagem corporativa e idealizadora do Trahentem®, o sucesso de um projeto depende muito do comprometimento das partes interessadas, bem como ao conhecer os stakeholders, o T&D consegue desenvolver treinamentos melhores, mais efetivos e customizados. “Engajar os stakeholders a projetos é uma atividade contínua, que deve ser conduzida com muito cuidado e carinho para que se atinja o sucesso desejado. Por isso, valorize seus stakeholders, conheça-os bem, desenvolva um bom relacionamento com eles e, acima de tudo, foque em manter uma comunicação clara, transparente e assertiva”.

Ferramenta

Vimos que o processo de análise dos stakeholders e o seu envolvimento em Treinamento & Desenvolvimento são fundamentais. Mas como fazer isso? Usando metodologias ágeis e colaborativas, como o Trahentem® para o Design de Aprendizagem com o uso de Canvas.

Na prática, o Trahentem® faz uso de três modelos de Canvas que sintetizam os processos de diagnóstico, seleção de conhecimentos e conteúdos e, por fim, o alcance de soluções focadas na maneira como as pessoas aprendem e em sua performance. Portanto, o método atende às necessidades dos Designers de Aprendizagem ao aliar velocidade, criatividade e otimização de resultados para a criação de soluções de aprendizagem completas.“Neste cenário, o método ajuda no levantamento de dados sobre os objetivos, interesses e preferências das partes envolvidas com o intuito de mapear os riscos e demandas de comunicação de um projeto. Com a realização desta análise estratégica, o gestor consegue adquirir um bom conhecimento do “terreno onde pisa”, refletindo acerca das metas e interesses de cada stakeholder em relação ao projeto. Desta maneira, é possível prever e controlar surpresas desagradáveis à frente, garantindo a eficiência na execução do projeto e os frutos positivos do trabalho”, finaliza Flora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *