Os desafios do profissional que desenvolve pessoas

Por Flora Alves,  CLO da SG Aprendizagem Corporativa e idealizadora do Trahentem®

Indivíduos preparados, motivados e alinhados ao propósito da empresa, dedicados à conquista de resultados e à construção de carreiras sólidas em parceria com as organizações onde atuam. Esse tipo de capital humano, é a base fundamental para o sucesso de organizações que buscam se diferenciar no mercado.

E um dos responsáveis para que tudo isso vire realidade, é a área de Treinamento & Desenvolvimento, considerada como um laboratório de talentos de uma empresa. E da mesma forma que as organizações apresentam inúmeros desafios e dores, o T&D também enfrenta desafios diários. Para capacitar colaboradores e extrair seu máximo potencial, o T&D precisa se adaptar constantemente. No dia a dia, a falta de tempo, recursos e estrutura adequada são alguns dos obstáculos para criar programas de treinamentos, além da dificuldade em gerir resultados e comprovar sua eficácia.

Sob o ponto de vista do T&D, o maior desafio é a transferência do aprendizado para a prática, afinal é isso que vai justificar os investimentos feitos. É conseguir passar a mensagem para o colaborador de forma que ele consiga colocar em prática no seu dia a dia, atingindo os objetivos de aprendizagem. Para eliminar essa dor é preciso conectar a aprendizagem com as pessoas, colocando-as no centro de todo o processo e com os objetivos do negócio.

Outra dor do T&D é a falta de tempo. Muitas das vezes, o conteúdo é muito rico e deve ser apresentado aos colaboradores em pouco tempo. Entendo que um funcionário que se ausenta de seu posto de trabalho por cinco dias para uma capacitação gera num primeiro momento, um certo tipo de “perda” para a organização, seja na sobrecarga de outros trabalhadores ou no atraso de determinadas tarefas. Em contrapartida, se o funcionário não é bem capacitado, perde a oportunidade de trazer melhorias reais para o negócio. Saber equilibrar essa equação é também um dos grandes desafios, pois todo tipo de treinamento ou capacitação deve trazer resultados que possam ser convertidos em ganhos em algum momento. Isso significa que os treinamentos e capacitações devem trazer conhecimento aplicável, percebido e mensurável tanto pela equipe quanto pelos gestores.

Um dilema também enfrentado pelo T&D é chegar a um equilíbrio que permita treinar os funcionários sem aumentar tanto as despesas da empresa, de maneira que o aprimoramento contínuo se torne viável dentro de uma relação custo x benefício. Sabemos o quanto um treinamento pode representar de investimentos para a empresa, especialmente se você pretende capacitar um grande time. É por isso que os treinamentos customizados segundo as necessidades de cada organização, estão se tornando cada vez mais importantes. É preciso planejamento para compor os custos.

Porém, uma coisa é certa: mesmo com as nossas dores e desafios, o verdadeiro posicionamento do profissional de T&D é ser colaborativo, propositivo, estratégico, parte do C-Level e protagonista. Para que tudo funcione de maneira plena em um Treinamento & Desenvolvimento, é preciso sempre pensar em quem aprende, ou seja, nas pessoas para quem uma solução de aprendizagem é desenhada. Repito: para eliminar essas dores é preciso conectar a aprendizagem com as pessoas, colocando-as no centro de todo o processo e com os objetivos do negócio.

Para isso, um diagnóstico consistente, que avalia cuidadosamente a organização, a performance que se espera de um determinado grupo de indivíduos, a performance atual, o impacto do desempenho dessas pessoas no objetivo da organização e também o contexto no qual essa organização atua, é primordial.

Eu lhe convido para passar a fazer este diagnóstico cuidadoso, que tal? Afinal, ser um profissional que desenvolve pessoas é fazer do sucesso dos seus aprendizes, o seu sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *