A importância de NUNCA parar de estudar na vida

Aprender é algo que não se limita aos ambientes formais, aprendemos o tempo todo a partir de nossas experiências. Há coisas que aprendemos com mais facilidade e outras que nos custam mais. Em geral aprendemos com mais facilidade aquilo que nos interessa, ou seja, aquilo que consideramos relevantes para nossa vida.

Você já reparou que as crianças parecem absorver tudo aquilo que está ao seu redor, aprendendo com muito mais velocidade e sem escolher o que aprender? É como se a memória delas fosse uma biblioteca com prateleiras vazias prontas para receber novos conhecimentos (livros). Com tanto espaço para ser preenchido, a criança vai acomodando os novos conhecimentos indiscriminadamente. Já os adultos parecem escolher melhor aquilo que vão colocar nas prateleiras de sua biblioteca, é como se elas já estivessem repletas de livros com apenas algumas lacunas a serem preenchidas levando-os a fazer uma seleção mais criteriosa.

O que, de fato realmente importa, é NUNCA parar de estudar na vida. Estamos na era do Lifelong Learning, da educação continuada ou aprendizagem contínua, na qual acessamos as oportunidades formais e informais de aprendizagem ao longo de nossas vidas.

Quando pensamos necessariamente em aprendizagem formal que também está dentro do paradigma da aprendizagem ao longo da vida, lembramos que o brasileiro passa cerca de dez anos na educação formal, considerando escola e universidade, e durante esse período, a principal tarefa é aprender e absorver tudo o que esses ambientes têm a oferecer. A maior parte do tempo é gasto dentro das salas de aula, adquirindo novos conhecimentos, mas quando a fase de educação acaba muita gente acredita que o tempo dedicado a aquela atividade se esgotou. É uma ideia errônea, mas absorvida por muitos.

De um modo geral, é verdade que a educação formal e as qualificações resultantes dessa prática são importantes e ainda valorizadas no mundo de hoje, ela pode maximizar o potencial de uma pessoa encontrar empregos melhores, oferecer estabilidade financeira e sucesso na carreira escolhida. Mas, educar uma pessoa desde pequena, e por apenas parte da vida dela, para que a mesma exerça uma função específica durante o resto a sua existência não faz mais tanto sentido hoje quanto antigamente. 

O mundo e, consequentemente o mercado de trabalho, está passando por uma grande mudança. Postos de trabalho e indústrias inteiras estão se expandindo e se contraindo em um ritmo alarmante, e as habilidades necessárias para ocupar praticamente qualquer trabalho estão se transformando. O Lifelong Learning não precisa de ensino imposto via tarefas, pois é auto-motivado para buscar as experiências que interessam a ele.

Existe uma necessidade emergente e contínua de aprendizado por meio de outros formatos depois da formação profissional. As possibilidades para isso são diversas: uma grade diferenciada de disciplinas, que estimulem atividades extracurriculares de autoaprendizagem; oferta de cursos de curta duração e treinamentos on-line, que proporcionem aos estudantes o desenvolvimento de diferentes habilidades exigidas pelo mercado de trabalho, e-learning e métodos inovadores que estimulam o aprendizado de maneiras diferentes, como gamificação, apps, trilhas de aprendizagem e pílulas do conhecimento.

Mas por quê se tornar um lifelong learner?

A ideia de “estudar por toda a vida” traz uma série de benefícios para quem colocá-la em prática. Alguns exemplos são:

Adaptando às mudanças – Quanto mais uma pessoa aprende ao longo da vida, mais ela será mais capaz de se adaptar às mudanças da Nova Economia, que exige flexibilidade e capacidade de improvisação em situações inesperadas. Nesse contexto, o lifelong learning traz muitos benefícios porque, além de manter o profissional qualificado durante toda a sua carreira, abrirá sua mente para novas possibilidades e suas conexões e redes de contato se fortalecerão, bem como habilidades naturais e outras skills.

Retorno financeiro – Para se manter competitivo nesse mercado e, potencialmente, ganhar mais dinheiro, a pessoa precisa aprender a estudar por si só. Não apenas o Lifelong Learning pode ajudar as pessoas a ganharem mais dinheiro no seu emprego tradicional, como também pode ser a porta de entrada para alguém iniciar seu próprio negócio.

Um melhor líder – Ser capaz de se conectar com os outros não apenas torna uma pessoa mais interessante, mas também a faz mais influente. Quando maior a sua base de conhecimento diferenciado, mais o líder será capaz de conhecer quem está ao seu redor e maior será o estoque de soluções à disposição para resolver problemas e superar desafios, internos ou externos.

Satisfação – Quando alguém é um autodidata, ao invés de ser um consumidor passivo de conhecimento, ele estará ativamente escolhendo o que aprendeu. Em outras palavras, essa pessoa é autônoma. Ao aprender novas habilidades, ela desfrutará do sentimento positivo que vem com a maestria e, consequentemente, se encontrará com um sentido renovado de propósito na vida ao estabelecer metas para sua própria educação.Aprender ao longo da vida é buscar se aperfeiçoar e aprofundar em seus conhecimentos para suportar as demandas da própria vida pessoal e profissional. Atualmente, tudo muda de maneira extremamente rápida. É preciso nos adaptar e readaptar à inúmeras transformações e sermos interessantes ao mundo do trabalho. Aprender ao longo da vida é uma necessidade de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *