5 dicas para “pensar fora da caixa”

Em uma sociedade VUCA (Volátil, Incerta, Complexa e Ambígua em tradução livre) a palavra de ordem no mercado é inovação. Mas, não é simples deixar o pensamento fluir para longe das ideias convencionais em uma rotina corrida onde as atitudes mecânicas soam mais atrativas. Diante deste cenário, a ausência de criatividade torna-se uma amiga íntima.

Por um acaso eu apresentei acima uma situação que lhe é familiar? Se a resposta para este questionamento for uma afirmativa, posso incentivá-lo a permanecer calmo. Afinal, o texto traz uma boa dica para aqueles que estão no meio de um bloqueio criativo: think outside the box!

O conceito nada mais é do que o ato de “pensar fora da caixa”. Ou seja, ir em busca de insights diferentes para solucionar os desafios da empresa. Trata-se de sair do senso comum e abrir-se para alternativas que nem sempre são encontradas no caminho padrão. Na prática, a iniciativa é ligada as áreas de Comunicação. Porém, qualquer profissional é capaz de se beneficiar de uma mente criativa (inclusive o designer instrucional).

Por este motivo, segue abaixo uma lista com cinco sugestões imprescindíveis para conseguir “pensar fora da caixa”. Não deixe de conferi-las!

Revolucionando o mercado de T&D

Revolucionar é o desejo de qualquer profissional no mercado. Para Flora Alves este movimento veio de forma natural quando ela passou a exercitar a atividade de “pensar fora da caixa” ao questionar a estrutura da construção de uma solução de aprendizagem e identificar uma brecha no processo. Em vez de refletir sobre as reais necessidades do aprendiz, os designers instrucionais tendem a priorizar os conteúdos que eles gostariam de transmitir embora essa escolha não seja 100% assertiva.  

A percepção levou Flora a desenvolver o Trahentem® com o intuito de otimizar a elaboração das ações de Treinamento & Desenvolvimento. O método auxilia designers instrucionais experientes ou iniciantes a descobrirem uma maneira ágil e segura para executar os processos de diagnóstico, seleção de conhecimentos e conteúdos ao posicionar o ser humano no centro dos procedimentos.

“A ferramenta funciona por meio dos canvas Di-Empatia, Di-Tarefas e Di-Ropes (usados de forma sequencial ou não) em paralelo ao uso de post-its®. Além de simplificar a construção da solução ao torná-la mais visual, a ideia também é dar uma característica colaborativa já que profissionais chaves da companhia podem contribuir com o projeto presencialmente ou à distância na plataforma virtual”.

Gostou da novidade? A metodologia pode ser lida na íntegra no best-seller Trahentem®: desenhar um treinamento nunca foi tão fácil. Para quem tem o interesse de saber mais informações, basta acessar: https://canvastrahentem.com/.

2 Replies to “5 dicas para “pensar fora da caixa”

  1. Conheço o trabalho de vocês, por ter trabalhado nas Organizações Bradesco e ter tido a oportunidade de participar de algumas soluções de aprendizagem.
    Este tema vem de encontro para ajudar nos aspectos de pensamentos alem do comum para quem quer interagir também por meio das mídias sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *